Cinco anos após o rompimento da barragem de fundão o CBH -DOCE se mantém firme na luta em prol da reparação e da recuperação

Há exatos cinco anos a maior catástrofe ambiental já ocorrida no Brasil trouxe danos irreparáveis, transformando drasticamente o cenário e a vida na Bacia Hidrográfica do Rio Doce.

Primeiramente, o CBH-Doce reafirma a sua solidariedade a todas as comunidades, familiares e amigos atingidos pela tragédia.

O rompimento da barragem de Fundão, no município de Mariana (MG), despejou milhões de metros cúbicos de rejeito na calha do rio provocando graves impactos socioambientais e a morte de dezenove pessoas.

Nesse contexto de repercussão mundial, o CBH-Doce, cumprindo sua missão, intensificou e fortaleceu seu papel estratégico na articulação dos diversos atores visando à preservação e recuperação ambiental na região.

O Comitê é um órgão colegiado com atribuições normativas, deliberativas e consultivas, integrante do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, formado por representes do poder público, usuários e sociedade civil.

Desde o rompimento, o CBH-Doce, junto aos comitês de bacia dos rios afluentes mineiros e capixabas, trabalha incessantemente participando de forma ativa dos processos de reparação e recuperação, liderados pelo Comitê Interfederativo (CIF), além de seguir firme na implementação dos programas e projetos desenvolvidos com recursos próprios, que evolvem ações de saneamento básico em áreas urbanas e rurais, recomposição de nascentes e áreas de preservação permanente, controle de atividades geradoras de sedimentos, incentivo ao uso racional da água, entre outras.

O CBH-Doce possui representantes em diversas Câmaras Técnicas do CIF, participando ativamente das discussões sobre segurança hídrica, qualidade da água, restauração florestal, biodiversidade, gestão de rejeitos e segurança ambiental, além de compor o plenário do CIF e do Conselho Consultivo da Fundação Renova, instituição criada por meio de Termo de Transação e Ajustamento de Conduta para executar o processo de reparação e recuperação da Bacia.

Em meio a esse cenário, o ano de 2020 trouxe mudanças e desafios para a gestão de recursos hídricos na Bacia do Rio Doce com a saída do Instituto BioAtlântica (IBIO), que atualmente exerce a função de Agência de Água, e a delegação de uma entidade sucessora, a Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (AGEVAP).

A nova entidade, cujos trabalhos estão previstos para iniciar ainda este ano, possui dezoito anos de experiência, alcançando resultados de excelência na execução de obras, programas e projetos. Essa expertise será fundamental para alavancar a implementação de ações na bacia, sobretudo neste momento em que será iniciada a revisão do Plano Integrado de Recursos Hídricos e a elaboração da proposta de enquadramento para a Bacia.

Nesse sentido, o CBH-Doce reafirma o seu compromisso com a recuperação e a reparação social e ambiental da bacia. Sabemos que ainda há muito a ser feito e não descansaremos, trabalhando, com firmeza, na luta em prol da Bacia Hidrográfica do Rio Doce.

Nota em PDF>5 Anos do Rompimento da Barragem de Fundão (1)

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
Com muito ❤ por go7.site
⚙️