A Governança da Água no Estado de Goiás

A Governança da Água no Estado de Goiás – JULIANA BEATRIZ SOUSA LEITE
GOIÂNIA 2017

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária da Universidade Federal de Goiás como parte dos requisitos para a obtenção do título de Mestre em Engenharia Ambiental e Sanitária.

Área de Concentração: Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental

Orientador: Prof. Dr. Denilson Teixeira.

Resumo: A governança da água consiste no conjunto de processos e instituições pelos quais as decisões que afetam a água são tomadas, a fim de identificar as metas de gestão a serem perseguidas. Esse trabalho teve por objetivo avaliar a governança da água no Estado de Goiás em relação à efetividade do Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos com o propósito de sugerir um sistema de indicadores para monitorar a capacidade estatal de gerir com qualidade os recursos hídricos e de articular diferentes atores nesse processo. Para isso foram utilizadas duas ferramentas: O Termômetro da Governança da Água e o Barômetro da Governança da Água. Evidenciou-se que as dimensões Capacidade Estatal, Instrumentos de Gestão e Interação Estado-Sociedade necessitam de maior atenção em relação ao processo de governança da água, relacionadas a aspectos como a composição da equipe de trabalho, o acesso e uso dos recursos financeiros disponíveis, a organização e funcionamento dos órgãos gestores e a participação da sociedade nos processos decisórios. Suas principais deficiências encontram-se no atendimento a princípios como a prestação de contas, eficiência e eficácia, integração, transparência, coerência e participação. A dimensão Ambiente Institucional, relacionada ao aspecto efetividade da legislação, foi identificada como a mais forte na governança da água; por criar e regulamentar os órgãos de gestão do Sistema Estadual de Recursos Hídricos, garantindo sua legitimidade. Por fim conclui-se que a transferência do poder decisório do Estado para a escala da bacia hidrográfica não aconteceu, fato que impõe ainda um modelo de gestão centralizado e não participativo, em contraposto ao preconizado na política estadual de recursos hídricos.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Com muito ❤ por go7.site