Publicações

13/11/2017 10:00

ENCONTRO NACIONAL DO OBSERVATÓRIO DA GOVERNANÇA DAS ÁGUAS

Encontro Nacional do Observatório da Governança das Águas conta com participação representativa da sociedade civil organizada

OGA Brasil se consolida como um importante coletivo no fortalecimento da Governança das Águas no Brasil.

O Encontro Nacional do Observatório da Governança das Águas (OGA) ocorreu no dia 8 de agosto, no espaço Interlegis, em Brasília/DF e teve objetivo reunir os membros signatários para avaliar e aprovar a estrutura organizacional proposta pelo Núcleo executivo Provisório e compor o Comitê Gestor que conduzirá as atividades do OGA Brasil durante os próximos anos.

A mesa de abertura foi composta por representantes do Núcleo Executivo provisório, são eles: Ricardo Novaes da WWF, Vladimir Caramori da ABRH, Fatima Casarin da ONG NVNV, Daniela Figueiredo da UFMT, Luciani Aguiar do Instituto Rios Brasil, Cacá Pitombeira da Consenso e Eduardo Figueiredo do IBIO). Contou ainda com a inestimável presença do deputado Nilto Tatto integrante da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Legislativa do Congresso Nacional que ressaltou a importância do papel da sociedade civil organizada na orientação do trabalho que vem sendo conduzido pelo poder legislativo.

A programação contou com palestras sobre o histórico do Observatório por Angelo Lima, atual Secretário Executivo do OGA Brasil, seguido por André Nahur do Observatório do Clima e por Roberta Del Giudice do Código Florestal. Este ambiente proporcionou um debate rico acerca do funcionamento operacional desses coletivos, e contou com ampla participação dos organizações signatárias presentes na busca de lições aprendidas e recomendações que apóiem a consolidação do OGA Brasil. "Temos muito o que aprender com essas experiências pois nossos desafios são parecidos, incluindo a viabilidade financeira da rede, a mobilização da sociedade em torno desses temas e a promoção de um diálogo entre organizações muito diferentes entre si" ressaltou Vladimir Caramori, presidente da ABRH e mediador do debate.

A Assembléia Geral, na programação da tarde foi marcada por um debate de elevado nível técnico sobre o objeto de observação, painel de indicadores, viabilidade financeira e propostas de estrutura organizacional do OGA Brasil, com contribuições de organizações presentes como TNC, Fundação AVINA, Fundação Joaquim Nabuco, SOS Mata Atlântica, Grupo Boticário e Instituto Trata Brasil, entre outros. Também marcou presença o deputado Alessandro Molon, membro da Frente Parlamentar Ambientalista, que manifestou apoio a construção do OGA Brasil "O cenário político não está favorável para a agenda ambiental e por isso uma iniciativa como o OGA, que reúne tantos atores em prol da gestão das nossas águas, é muito bem vinda", ressaltou. 

Ao final dos trabalhos, o plano de negócios, elaborado de forma coletiva ao longo do último ano pelo Núcleo Executivo e apoio da WWF Brasil que contratou a consultoria do SenseLab, nosso especial agradecimento, foi aprovado e o Comitê Gestor composto por 11 instituições signatárias. São elas: Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH); Fundação Joaquim Nabuco (PE), Fundação O Boticário, Fundação SOS Mata Atlântica, Instituto Democracia e Sustentabilidade, Instituto Portas Abertas (ES), Instituto Rios Brasil (AM), Instituto Trata Brasil, ONG O Nosso Vale Nossa Vida (RJ); The Nature Conservancy (TNC) e WWF-Brasil. A partir de agora, o foco do OGA Brasil será direcionado para o desenvolvimento do Relatório Zero (documento que coleta e analisa dados de todo o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos) e de um painel de indicadores para a Governança das Águas no Brasil e ainda a preparação de nossa a participação no Fórum Mundial da Água 2018 e Fórum Mundial Alternativo da Água entre outros eventos

A expectativa dos membros signatários é que o OGA Brasil desempenhe um papel significativo no fortalecimento do Sistema Nacional de Gestão de Recursos Hídricos, entendendo a sua complexidade é nosso grande desafio. “Nosso país também é muito diverso e para que o OGA tenha uma visão nacional, é preciso compreender as diferentes realidades regionais” ressaltou Amanda de Andrade, representante do IBIO. “O OGA acolhe todas as organizações que queiram contribuir com essa iniciativa através de uma política de associação inclusiva e processos transparentes. Esse próximo ano será de muito trabalho e, esperamos, de muitas conquistas.” Vladimir Caramori (ABRH).

Sobre o OGA Brasil

É uma rede multissetorial que reúne 85 instituições do poder público, setor privado e organizações da sociedade civil e indivíduos que reconhecem a necessidade de monitorar o desempenho dos Sistemas Nacional e Estaduais de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SINGREH) e fortalecer a Governança das Águas no Brasil "E pode ir além" ressalta Fatima Casarin, representante da ONG NVNV em consonância com a representante da Fundação AVINA. Visite nosso site e acompanhe nosso trabalho:http://www.observatoriodasaguas.org/.

Segue anexo o Relatório do Encontro Nacional do OGA.

Comitê Gestor


Titulo fixo
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo